Osteoporose pode ser detectada em fase inicial

Densitometria óssea é o principal exame para diagnosticar a doença

Osteoporose é uma doença que acomete os ossos, deixando-os mais fracos e suscetíveis a fraturas. Geralmente, a doença se manifesta em mulheres a partir de 50 anos, mas pode também afetar homens a partir dessa idade. 

O problema é considerado grave devido à mortalidade proveniente das fraturas nessa fase da vida, principalmente quando elas se localizam no fêmur e na coluna. A doença pode ainda causar dores, diminuição da estatura e postura curvada. 

O principal exame que diagnostica a osteoporose é a densitometria óssea. Ela avalia a densidade dos ossos, indicando quando eles estão mais frágeis ou quando a perda de densidade está ainda no começo. Assim, mulheres e homens com mais de 50 anos com histórico familiar de osteoporose, ou sem histórico, mas que tenham acima de 65 anos, devem fazer o exame anualmente – seja para diagnóstico ou para controle.

O exame avalia a coluna lombar e a região femoral com aparelhos sofisticados e de baixa radiação. É um procedimento rápido e de exposição radioativa até 10 vezes menor do que radiografias comuns. É também indolor e seguro para o paciente.

Resultado de imagem para osteoporose

Fatores de risco para osteoporose 

A densitometria óssea é recomendada para pacientes que apresentem os fatores de risco para osteoporose ou para homens e mulheres com mais de 65 anos de idade, mesmo que não apresentem histórico familiar. 

Dentre os fatores de risco, podemos citar: pessoas com baixo peso, que já fraturaram outras partes do corpo previamente, as que tomam medicações que diminuem a densidade óssea ou as que apresentam doenças que aumentam o risco de osteoporose. O exame também serve para monitorar a doença já diagnosticada, direcionando ao melhor tratamento. 

Crianças e adolescentes também podem realizar o exame. Nesse caso, com ênfase no acompanhamento de crescimento. 

Contraindicações da densitometria óssea 

Gestantes não devem realizar o exame. Ainda que a dose de radiação seja muito baixa, ela pode prejudicar a formação do feto. Outra contraindicação relativa é para pessoas que realizaram exames como a cintilografia ou outros com contraste como iodo ou bário a menos de dois dias. Esses elementos interferem nos resultados. 

Dependendo do aparelho, obesos com mais de 160 kg também não serão comportados na mesa do equipamento. 

Como se preparar para a densitometria óssea? 

Não é aconselhável peças de metais nas roupas, assim como joias e bijuterias. Pode ser necessário vestir o avental da clínica ou laboratório. No dia do exame, o paciente não deve ingerir suplementos à base de cálcio, pois eles podem modificar os resultados.

Na hora do exame, é necessário deitar-se na mesa do aparelho e ficar imóvel e com a coluna alinhada. O técnico operador lhe ajudará a se posicionar. A densitometria deve ser feita, pelo menos, na região do quadril e da coluna lombar para ser completa e fornecer informações precisas para um correto diagnóstico. Eventualmente, deve ser completada com imagem do antebraço (osso do rádio proximal). 

Prevenção da osteoporose 

A osteoporose é uma doença controlável com tratamento. É possível prevenir lesões, reduzir a perda óssea e controlar a dor, contribuindo para a qualidade de vida do paciente. 

Para prevenir a osteoporose é fundamental a ingestão de alimentos com cálcio e vitamina D, exposição solar moderada e prática regular de atividade física. 

 
 
 
Área Restrita: ADMIN | EMAIL | INOVA | PESQUISAS | ADMIN PESQUISAS | EPA