Cinco mudanças de hábito que podem reduzir o risco de câncer

Idade, genética e exposição a fatores de risco podem causar câncer. Dessas três causas, só podemos controlar uma: a exposição a fatores de risco.

Os fatores de risco são similares no mundo todo: cigarro, alimentação e nutrição inadequadas, álcool, doenças sexualmente transmissíveis e a exposição ao sol, entre outros.

Cerca de 15% dos casos de câncer no Reino Unido, por exemplo, são causados por exposição a tabaco, segundo dados do Cancer Research UK. De acordo com a instituição, a ingestão de álcool foi causa de 6% das mortes no mundo em 2012 – 13% delas por causa de câncer.

Alimentação e nutrição inadequadas são responsáveis por até 20% dos casos de câncer nos países em desenvolvimento, como o Brasil, de acordo com o Inca (Instituto Nacional do Câncer).

Alguns vírus e infecções transmitidos sexualmente têm potencial cancerígeno. Além disso, a exposição solar em excesso é o principal fator para o câncer de pele.

O que fazer, então, para “fugir” dos fatores de risco e reduzir a probabilidade de câncer?

1) Não fume

Fumar é a maior causa de câncer no mundo, segundo o Cancer Research UK – podendo causar ao menos 15 tipos da doença. Químicos da fumaça do cigarro entram na corrente sanguínea e podem afetar o corpo inteiro. Fumar também afeta o DNA, incluindo genes que podem proteger do câncer.

2) Tenha uma alimentação rica em frutas, legumes, verduras, cereais integrais e leguminosas

Dietas pobres em nutrientes podem aumentar o risco de ao menos seis tipos de câncer (como boca, estômago, intestino). Alimentar-se bem, com comidas saudáveis e uma dieta equilibrada, também ajuda a manter um peso saudável – o sobrepeso e a obesidade são fatores de risco para câncer. Além disso, certos alimentos, como os processados, podem aumentar o risco de câncer. Outros, como frutas, legumes e alimentos com mais fibra ajudam a reduzir o risco da doença. Por fim, a redução do consumo de álcool também diminui o risco de contrair câncer.

3) Pratique atividade física

Além de controlar o peso – o que também contribui para a redução do risco de câncer -, a atividade física é benéfica para a prevenção da doença por diversos motivos. A atividade física, por exemplo, ajuda a digestão – o que significa menos exposição do intestino a quaisquer elementos danosos ao corpo, como os liberados quando consumimos álcool. Em mulheres, a atividade física reduz o nível de estrogênio, que é apontado como razão para cânceres de mama e útero.

4) Pratique sexo seguro

Não dá para contrair câncer por meio de sexo sem proteção, mas é possível contrair outras doenças que podem levar ao câncer. Alguns tipos de HPV, por exemplo, aumentam o risco de câncer. Hepatite B e Hepatite C, ambos espalhados por meio de contato sanguíneo, são ligados a câncer de fígado e Linfoma não Hodgkin. Há outras doenças contraídas por meio de sexo sem proteção que podem aumentar o risco de câncer.

5) Use protetor solar e não fique longos períodos exposto ou exposta ao sol

Queimar a pele é sinal de que o DNA nas suas células da pele foram danificados por muita exposição a radiações ultravioleta. Mesmo que queimar a pele – que não precisa estar com bolhas ou descascando, basta que tenha ficado vermelha – aconteça só uma vez a cada dois anos, triplifica as chances de um câncer de pele.

Não se expor aos fatores de risco não garante uma vida sem câncer. Mas pode reduzir as chances de ser afetado pela doença.

“Sabemos, por exemplo, que é possível um fumante viver uma vida sem câncer, enquanto uma pessoa que nunca encostou em cigarros pode desenvolver câncer no pulmão. Mas muitos estudos a longo prazo mostram claramente que pessoas que nunca fumaram têm menos probabilidade de desenvolver ou morrer de câncer do que fumantes”, diz em seu site o Cancer Research UK.

FONTE:http://www.bbc.com/portuguese/geral-43964732

 
 
 
Área Restrita: ADMIN | EMAIL | INOVA | PESQUISAS | ADMIN PESQUISAS | EPA